[Resenha] Travessuras da Menina Má – Mário Vargas Llosa

TRAVESSURAS_DA_MENINA_MA_1385181878B

Título: Travessuras da Menina Má

Autor: Mário Vargas Llosa

Editora: Alfaguara

Ano: 2006

Páginas: 302

O peruano Ricardo vê realizado, ainda jovem, o sonho que sempre alimentou – o de viver em Paris. O reencontro com um amor da adolescência o trará de volta à realidade. Lily – inconformista, aventureira e pragmática – o arrastará para fora do pequeno mundo de suas ambições. Ricardo e Lily – ela sempre mudando de nome e de marido – se reencontram várias vezes ao longo da vida, em diferentes cidades do mundo que foram cenários de momentos emblemáticos da História contemporânea. Na Paris revolucionária dos anos 60; na Londres das drogas, da cultura hippie e do amor livre dos anos 70; na Tóquio dos grandes mafiosos dos anos 80; e na Madri em transição política dos anos 90. Assim, ao mesmo tempo em que conta a história de um amor arrebatador, Travessuras da menina má traça um quadro vigoroso das transformações sociais européias e convulsões políticas da América Latina. Muitas das experiências de vida de Vargas Llosa aparecem aqui, por meio de seus personagens – os tempos de penúria em Paris, seu trabalho como tradutor, sua simpatia pela revolução cubana e a ligação permanente com seu país de origem, o Peru. Criando uma tensão entre o cômico e o trágico, numa narrativa ágil, vigorosa e terna, que conduz o leitor nesta dança de encontros e desencontros, Mario Vargas Llosa joga com a realidade e a ficção para contar uma história em que o amor se mostra indefinível, senhor de mil faces, como a menina deliciosa e má.

O que eu achei de Travessuras da Menina Má?

O livro Travessuras da Menina Má, de Mário Vargas Llosa conta a história de amor de Ricardo e de uma mulher que, a cada momento, assume um nome e uma identidade. Ao mesmo tempo em que narra a trajetória dele, desde sua adolescência até a velhice, passando pelo sonho de morar em Paris e a profissão de tradutor, o livro traz um pano de fundo histórico importantíssimo, possivelmente inspirado por muitas experiências do autor.
A trama começa um pouco mais arrastada, mas vai ganhando agilidade e fluidez conforme são narradas as passagens de tempo e mudanças de lugar, já que o personagem de Travessuras da Menina Má passa pelo Peru, França, Inglaterra e Espanha ao longo de sua vida.
As transformações que acontecem com ele e com seus relacionamentos entre amigos e com a mulher misteriosa são marcados pela época e lugar em que se passam, o que podemos ver nas constantes descrições de locais e vestuários, marcando a transição da moda em cada fase da obra.
Todos os personagens com quem o protagonista se relaciona são muito bem retratados, em seus aspectos psicológicos, desejos e características físicas. Mais do que a si mesmo, o protagonista projeta na sua análise que faz daqueles com quem convive, um pouco do que ele sonha para si.
Amor e obsessão, relações de dependência, identidade e anulação, ambições e medos são temas tratados nesta obra que, apesar de relativamente curta, é bastante profunda. Travessuras da Menina Má é um livro para ser lido com calma e com atenção, pois o autor usa de muitos detalhes e sutilezas em seu texto.