[Resenha] Prometo Falhar – Pedro Chagas Freitas

prometo-falhar_capa_1

Título: Prometo Falhar
Autor: Pedro Chagas Freitas
Editora: Novo Conceito
Ano: 2015
Páginas: 400
Prometo Falhar é um livro que fala de amor. O amor dos amantes, o amor dos amigos, o amor da mãe pelo filho, do filho pela mãe, pelo pai, o amor que abala, que toca, que arrebata, que emociona, que descobre e encobre, que fere e cura, que prende e liberta. Em crônicas desconcertantes, Pedro convida o leitor a revisitar suas próprias impressões sobre os relacionamentos humanos. A linguagem fluida, livre, sem amarras, faz querer ler tudo de uma vez e depois ligar para o autor para terminar a conversa. Medo, frustração, inveja, ciúme e todos os sentimentos que nos ensinaram a sufocar são expostos sem pudores. Mergulhe de cabeça numa obra que mostra que é possível sair ileso de tudo, menos do amor. Você escolhe a ordem em que vai ler as crônicas do jovem escritor que tem 21 obras publicadas e é sucesso de vendas em Portugal.

O que eu achei de Prometo Falhar?

O livro Prometo Falhar, do português Pedro Chagas Freitas, é uma obra maravilhosa sobre o amor real. Escrito em crônicas que falam sobre o amor em todas as instâncias da vida, o livro aproxima o leitor do personagem de cada crônica. Ora narrado pela perspectiva feminina, ora pela masculina, traz diversas mensagens sobre o que nos apaixona nas pessoas.
A maioria dos textos em Prometo Falhar é composta em uma estrutura que lembra poemas, não pelas rimas ou frases curtas, mas pela presença de repetições e gradações, que não deixam o texto maçante – pelo contrário, trazem musicalidade e ritmo. Em todo o tempo somos levados do momento em que o personagem não sabe nada sobre o ser amado até o ponto em que o amor se consuma, ou o tempo passa, percorrendo cada etapa dos relacionamentos, e observando as nuances que compõem os amores.
É o tipo de livro para se ler aos poucos, com calma. Não é uma leitura para se fazer na sequência, com pressa ou sem atenção. Cada texto fala com o leitor em um momento particular, mostrando que o amor é porque é, e que se demonstra nos gestos mais casuais e nas imperfeições e limites. Prometo Falhar é recomendado para quem gosta de ter um livro de cabeceira!