[Resenha] O Álbum – Timothy Lewis

O Álbum

O Álbum – Para Adam, negociante de objetos usados, a casa de Gabe Alexander é apenas uma propriedade que será esvaziada e vendida pelo maior lance. Entretanto, em meio às prateleiras repletas de relíquias, um álbum antigo atrai sua atenção. Nele há cartões-postais amarelados pelo tempo, escritos ao longo de 60 anos. Intrigado, Adam começa a lê-los: eles estão cheios de frases românticas e delicadas, as provas do amor incondicional entre Gabe e Pearl Alexander.

Gabe cuidava para que um cartão chegasse às mãos de Pearl todas as sextas-feiras. Cada um deles possui não apenas um poema, mas verdades preciosas sobre o cotidiano de um casal que viveu um sonho. A soma de todas essas verdades talvez responda perguntas que Adam se faz há muito tempo.

O que eu achei de O Álbum?

O livro O Álbum conta a história de Adam, um negociante de objetos usados que se deparam com um álbum cheio de cartões-postais de Gabe a Pearl Alexander, os ex-donos da casa que tem que ser esvaziada para poder ser colocada a leilão. Os cartões o intrigam, pois em cada um deles há um poema de Gabe para a esposa, ao longo de sessenta anos. Adam começa a ler estes cartões e começa a pensar que, provavelmente, a resposta para seus dramas pessoais possa ser encontrada ali.

Aparentemente, o casamento de Gabe e Huck, como Pearl gostava de ser chamada, tinha sido algo bastante parecido a um conto de fadas. Dispostos a evitar o distanciamento e o esfriamento do romance, eles parecem ter se esforçado para manter a chama do amor acesa ao longo dos anos. Isto deixa Adam admirado já que, após o fim de seu casamento, ele não consegue nem esquecer a ex-esposa nem entender o que foi que fez o relacionamento deles fracassar. Ao ler em cada mensagem de Gabe, lições sobre o que faz um casamento feliz, ele tenta juntar as peças e reescrever sua história.

Há muitas coisas que Adam ainda não sabe, mas poderá contar com a ajuda de Yevette, a filha da empregada dos Alexander, que tem as peças que faltam ao quebra-cabeças que ele está tentando montar. Somos apresentados a todos os lados da história, conforme os cartões são lidos e os objetos da casa remexidos e vendidos. Conhecemos a perspectiva da história de Huck e Gabe, separadamente e depois juntos, quando se conhecem e se casam, além de saltos para alguns anos depois, quando Huck está no asilo e Gabe já havia falecido há muitos anos e, então, a vião de Adam e tudo o que tenta arrancar de Yevette.

A história de O Álbum é bem bonitinha e tem um objetivo certeiro. Trazer uma lição sobre o amor, o romance e o casamento. O autor faz isso quase de forma didática, pois sempre fica muito claro como as coisas vão terminar e os papeis de cada um são muito bem definidos. O Álbum é um típico texto que termina com uma moral da história.

Achei a história de Gabe e Huck muito bonita, mas ao mesmo tempo, o fato de saber como tudo ia terminar, me deixou um pouco entediada. Sei que gosto de histórias clichês, mas neste caso, estava tudo óbvio demais e com o objetivo claro de querer passar uma lição e isso me incomoda muito. Parecia que o autor estava, o tempo todo querendo me dizer: “Olhe só, isso é o certo, é assim que as pessoas devem agir.” Eu prefiro que as histórias me deixem tirar as minhas próprias conclusões e não que me direcionem ao que preciso entender ao final de tudo. Confesso, também, que esperei ler mas sobre Adam e não tanto sobre Gabe e Huck. Mas, infelizmente, não foi o que aconteceu em O Álbum.

Apesar disso, achei O Álbum um bom livro para entreter. A leitura é fluida e o texto é escrito de forma bastante leve. A revisão foi cuidadosa e, com isso, é um livro cuja experiência de leitura é bastante agradável. Mesmo com todo o fundo moralista da história, ainda recomendo a leitura.