[Resenha] A Playlist de Hayden – Michelle Falkoff

a-playlist-de-hayden_capa4_1

Título: A Playlist de Hayden

Autora: Michelle Falkoff

Editora: Novo Conceito

Ano: 2015

Páginas: 288

A Playlist de Hayden – Depois da morte de seu amigo, Sam parece um fantasma vagando pelos corredores da escola, o que não é muito diferente de antes. Ele sabe que tem que aceitar o que Hayden fez, mas se culpa pelo que aconteceu e não consegue mudar o que sente
Enquanto ouve música por música da lista deixada por Hayden, Sam tenta descobrir o que exatamente aconteceu naquela noite. E, quanto mais ele ouve e reflete sobre o passado, mais segredos descobre sobre seu amigo e sobre a vida que ele levava.
A PLAYLIST DE HAYDEN é uma história inquietante sobre perda, raiva, superação e bullying. Acima de tudo, sobre encontrar esperança quando essa parte parece ser a mais difícil.

O que que achei de A Playlist de Hayden?

A Playlist de Hayden conta a história de Sam, um garoto que passa por uma das piores experiências de sua vida. Seu melhor amigo, Hayden, cometeu suicídio e deixou apenas um pendrive e um bilhete: “Para Sam. Ouça, você vai entender”. Neste pendrive, está uma playlist com várias músicas selecionadas por Hayden e agora Sam, ao tentar lidar com o que aconteceu, quer usá-la para entender o que levou o amigo a tomar uma medida tão drástica.
A Playlist de Hayden é contado pela perspectiva de Sam. Tanto ele quanto Hayden eram os garotos desajustados da escola, os que não se encaixavam em nenhum padrão, em nenhuma das tribos adolescentes que se formaram no colégio e que preferiam se isolar em seu mundo geek. Com a morte de Hayden, Sam percebe que não tinha mais ninguém além do amigo e isso parece tornar a situação ainda mais difícil de superar. Ele não tem com quem conversar nem sente confiança em se abrir com outras pessoas.
Tanto Sam quanto Hayden eram vítimas de bullying e, com seu perfil antissocial, isso os afastava ainda mais dos outros colegas, o que apenas servia para alimentar ainda mais este círculo vicioso. Até que aparentemente a situação se torna insustentável para Hayden.
Sam se sente culpado pelo que aconteceu, acredita que poderia ter feito alguma coisa para impedir o amigo de ter tomado essa atitude, se tivesse percebido antes a forma como tudo o que acontecia com eles o afetava. Porém, conforme lemos a história, percebemos que nada é tão simples como parece.
Para quem já sofreu bullying, ler A Playlist de Hayden pode ter dois lados. Você pode achar extremo demais o que aconteceu com Hayden. Ou você pode se entender e se aceitar melhor. É interessante que, quando vemos as histórias de outras pessoas, conseguimos entender mais do que quando aquilo acontece com a gente mesmo.
Talvez pela minha personalidade ou pela minha criação, não sei exatamente por que motivos, mas eu já fui MUITO alvo de bullying. Eu tinha o “kit bullying”: magrela demais, estrábica, óculos, aparelho, espinhas, nerd. Então, pra mim foi bem simples entender o que os garotos do livro A Playlist de Hayden sentiam e os receios deles de se integrarem em uma vida social normal. Tudo isso passou, eu lidei com tudo isso (talvez não da melhor forma, mas com certeza, não da pior). Mas vejo que poderia ter passado por alguns anos da vida sem tanto sofrimento ou com um pouco mais de gente em volta de mim, se tivesse aprendido a ligar o foda-se naquela época.
Lembrei de muita coisa que eu vivi ao ler essa história, e por mais que eu nunca tomasse uma atitude como a de Hayden, entendo seus motivos e fico muito preocupada com outros adolescentes e jovens, por aí, que estão dando sinais de que estão no limite, que estão deixando mensagens sutis por meio de seus comportamentos, músicas, falas, silêncios… mas que a maioria das pessoas ignora ou subestima. Infelizmente, isso pode ter, sim, consequências graves, e nós precisamos prestar atenção.
Gostei muito da história de A Playlist de Hayden. Apesar de ter lido algumas resenhas desfavoráveis, acredito que a obra trouxe bastante reflexão para um tema aparentemente inocente, mas que pode ter consequências sérias, se não levarmos em conta as peculiaridades de cada indivíduo.
A leitura é rápida e fluida. Como o assunto me interessou muito, li A Playlist de Hayden em pouquíssimas horas, acompanhada das músicas que dão nome a cada capítulo e que permitem entender a essência do texto, ainda que não de forma expressa. Adorei a experiência de ler com música e é provável que a repetirei em outras obras que tenham sua trilha sonora própria.