[Resenha] Férias – Marian Keyes

férias

Rachel Walsh, é irmã de Claire (personagem principal de Melancia) e, após perder o emprego em Nova York, ser deixada pelo namorado Luke Costello e quase morrer de overdose, é obrigada pelo pai a se internar em uma clínica para dependentes químicos na Irlanda. Pensando que iria para um spa curtir férias, Rachel se revolta quando descobre que está; internada em um centro de reabilitação, e se recusa a admitir que tem sérios problemas, afinal, “não era magra o bastante para ser uma toxicômana”. Ela precisará; atravessar uma intensa jornada até reconhecer seus erros e reconquistar as pessoas que mais ama.

O que eu achei de Férias?

Férias conta a história de Rachel, a segunda das irmãs Walsh sobre quem a Marian Keyes escreveu. Ela mora em Nova York, tem um namorado lindo e uma melhor amiga e uma vida aparentemente tranquila. Se é que usar álcool, comprimidos para dormir e cocaína com alguma regularidade é considerado alguma coisa normal. Depois de um certo tempo com estes hábitos, Rachel tem uma overdose e acaba internada, meio a contragosto, em uma clínica (ela jura que é um spa cheio de regalias e de artistas famosos, onde ela passará um tempo como se estivesse mesmo de férias).

Apesar de não aceitar que tem problemas com drogas, Rachel terá que aprender a lidar com esta situação. Durante o tempo que passa na clínica, onde boa parte da história se desenvolve, ela convive com pessoas que tem problemas de diversas naturezas, todo tipo de vícios e esquisitices. É ali que ela vai enfrentar seus fantasmas e aprender a entender os outros, entender a si mesma e é nesse período que ela passa dentro da clínica que vamos construindo os pedaços que faltam em sua história.

Apesar de ainda estar machucada pela perda de seu namorado Luke, que a deixou depois de todos os problemas causados pelas drogas, ela acaba se encantando por Chris, um homem lindo e sedutor. Estas partes da história são bastante divertidas, pois Rachel fará de tudo pra chamar a atenção do rapaz, o que vai gerar diversas situações engraçadas.

A história de Férias é contada a partir do ponto de vista da Rachel, então a história dela, do relacionamento destruído com Luke e com a melhor amiga, vai sendo revelada aos poucos. Isso dá um ar de mistério a certas partes do enredo, que não deixam a gente parar de ler. É um dos melhores livros que li.

Em Férias a característica de Marian Keyes de um humor meio sarcástico, ou até mesmo negro, muitas vezes, está presente, e torna a história divertidíssima, apesar do tema bastante sério de que trata. A trajetória de Rachel, aos trancos e barrancos, na clínica de recuperação, apesar de difícil, é retratada a partir de um enfoque bem engraçado, destacando-se também os personagens secundários, que colaboram com situações e tiradas divertidas, e dando bastante leveza à trama de Férias.

É um dos livros que mais gostei, pela forma como aborda, com humor, um assunto tão sério como o uso de drogas. Li o livro em um período de tempo bem curto, pois a história me prendeu bastante a atenção. Recomendo muito!