[Blogagem Coletiva] O que é o amor

Este post faz parte da blogagem coletiva do Rotaroots, um grupo de blogueiros que buscam resgatar a essência dos blogs, sem regras, com estímulo à criatividade e criação de conteúdo autoral. Se você se identifica com essa ideia, participe do grupo e acompanhe as discussões e os temas do mês.

Um dos temas deste mês do Rotaroots é o AMOR! Cada pessoa tem um conceito, uma representação, uma ideia do que seja o amor. A verdade é que não vivemos sem amor, sentimos diferentes tipos de amor, em intensidades diferentes. O amor sempre está por aí. Mas o que é o amor?

Quem não se lembra daquelas figurinhas fofíssimas, que a gente colava em agenda, nos cadernos etc.? Os personagens de Amar é… traziam diversas situações bonitinhas que representavam atos de amor.

1057

Partindo dessas figurinhas que eu amava, o único conceito que me vem à mente, e que não é nem um pouco fechado, é apenas uma tentativa de dizer o que é este sentimento tão sublime, é que o amor são os atos singelos, as coisas simples, atitudes corriqueiras que mostram aos outros que nos importamos com eles, que os queremos bem… Nem sempre o amor será demonstrado por meio de atitudes grandiosas, manifestações exageradas. Na maior parte do tempo, é na convivência diária que entendemos o que é o amor e aprendemos a amar.

Um autor que de gosto muito, Danilo Barbosa escreveu, estes dias, sobre este assunto. Justamente o tema da blogagem coletiva… Interessante essa onda de publicações sobre o amor. Não há como negar que isto é o que o mundo mais precisa no momento, não é verdade?

Na literatura, conhecemos as demonstrações de amor marcantes, arrebatadoras, declarações de tirar o fôlego, abraços e beijos profundos e quentes. São nessas manifestações da fantasia que nos inspiramos para fazer surpresas criativas para nossos queridos, mas também é onde corremos o risco de querer, na vida real, uma personificação de tudo isso que serve apenas ao nosso imaginário.

É claro que vamos continuar lendo sobre todos os tipos de amor que existem, com todas suas manifestações poéticas e grandiosas. Mas não podemos deixar de prestar atenção aos amores que existem em um copo de água, no cuidado diário, na roupa limpa e na comida quentinha sobre a mesa. Não podemos desprezar a mensagem de texto no meio da tarde nem o bilhetinho que encontramos dentro da carteira.

Você já amou hoje?