[Resenha] Saga Harry Potter – J. K. Rowling

HARRY_POTTER_E_A_PEDRA_FILOSOFAL_1389761588PHARRY_POTTER_E_A_CAMARA_SECRETA_1343592468PHARRY_POTTER_E_O_PRISIONEIRO_DE_AZKABAN_1343592651P

HARRY_POTTER_E_O_CALICE_DE_FOGO_1343592881P

 

 

 

 

 

HARRY_POTTER_E_A_ORDEM_DA_FENIX_1343593292P

HARRY_POTTER_E_O_ENIGMA_DO_PRINCIPE_1343593517P

HARRY_POTTER_E_AS_RELIQUIAS_DA_MORTE_1343593859P

 

 

 

 

Depois de vários anos da publicação do último livro da Saga e de vários anos da publicação do último filme, eu resolvi começar a ler Harry Potter. Milhões de spoilers e centenas de trechos de filmes depois (nunca vi passar tanto Harry Potter na televisão paga quanto nos dias em que eu estava lendo os livros), finalmente cheguei ao fim.

O que eu achei da saga Harry Potter?

Gostei muito dos livros, mas como se trata de uma temática já exaustivamente explorada pelos demais blogs literários, resolvi fazer uma resenha só para a coleção inteira. Assim, evito spoilers para quem ainda não leu – o que acho difícil, mas como eu, podem haver outros na mesma situação.

A narrativa dos livros de Harry Potter tem uma estrutura básica que, em toda a saga, deixa a coisa meio previsível. Não em todos os momentos, nem em todos os livros, já que muitas revelações acontecem ao longo da história, principalmente nos últimos volumes. Porém, como se trata de livros escritos para adolescentes que foram crescendo junto com os personagens, é fácil identificar algumas pistas que a autora deixa sobre os mistérios que serão revelados mais para o final da história.

A estrutura, principalmente até o quarto livro, enfoca muito o ambiente de Hogwarts, a escola de magia e bruxaria onde Harry Potter e seus amigos estudam. Boa parte das aventuras acontece ali, mas também há uma excelente ambientação do leitor em um cenário acadêmico que é bastante parecido ao ensino tradicional.

Detenções, lições de casa, aulas, provas e a biblioteca, além da bibliografia e da grade de horário que são bem incutidas na mente de quem lê. Como disse outro dia, caso aquelas matérias existissem, seria bem provável que as perguntas da prova fossem as que a autora escreveu nos livros.

Porém, em vários livros, já é de se esperar que algo aconteça bem no começo da história, quando Harry Potter ainda estaria na casa dos tios. Mas depois que ele chega a Hogwarts, a trama passa por um momento de calmaria, com diversos temas paralelos, onde se explorava aquele ambiente acadêmico e a vida pessoal dos personagens, seus relacionamentos amorosos e de amizade, seus conflitos adolescentes e os questionamentos comuns até mesmo a quem não tem o dom da magia. É só no último quarto do livro que todos os acontecimentos convergem para um conflito, que é o clímax da história.

Confesso que boa parte dos livros eu lia o meio bem rápido, pra chegar logo na parte mais emocionante. Talvez esse seja o lado ruim de ler os livros fora da época certa, na idade para o qual foram escritos. Mas, de qualquer forma, a saga tem seus méritos.

Gostei muito da caracterização dos personagens, da ambientação tanto do mundo mágico como do mundo comum e também da forma como a autora apresentou toda a hierarquia daquele mundo, com sua política, seus integrantes, o Ministério com todas as suas leis, os livros que eram constantemente citados.

A construção do universo de Harry Potter é magnífica e nos faz crer que aquele mundo retratado ali, poderia existir daquela forma. Não é criado como se fosse algo inatingível, pelo contrário, é uma maneira fictícia, mas palpável, de criar um mundo que poderia ser. Entendo que seja nisso que a autora ganhou a confiança e a admiração de tantas pessoas ao redor do mundo. Inclusive a minha.

Acabei a leitura de todos os livros da série Harry Potter e descobri a casa a que pertenceria e, quando vi, estava dando uma de Chapéu Seletor e selecionando as pessoas ao meu redor nas casas de Hogwarts. Estou morrendo de vontade de tomar cerveja amanteigada e andar no Expresso de Hogwarts depois de fazer algumas comprinhas no Beco Diagonal. Recomendado para quem gosta de histórias fantásticas, que não se importa em ler um livro para crianças e que se deixa levar pela magia que não existe, mas com a qual é bom sonhar de vez em quando.