[Resenha] As Luzes de Setembro – Carlos Ruiz Zafón

as luzes de setembro

Título: As Luzes de Setembro

Autor: Carlos Ruiz Zafón

Editora: Suma de Letras

Ano: 2013

Páginas: 232

Durante o verão de 1937, Simone Sauvelle fica de repente viúva e abandona Paris junto com os filhos, Irene e Dorian. Eles se mudam para uma cidadezinha no litoral da Normandia, e Simone começa a trabalhar como governanta para Lazarus Jann, um fabricante de brinquedos que mora na mansão Cravenmoore com a esposa doente.Tudo parece caminhar bem. Lazarus demonstra ser um homem agradável, trata com consideração Simone e os filhos, a quem mostra os estranhos seres mecânicos quecriou: objetos tão bem-feitos que parecem poder se mover por conta própria.

Irene fica encantada com a beleza do lugar – os despenhadeiros imensos, o mar e os portos – e por Ismael, o pescador primo de Hannah, cozinheira da casa. Ismael tem um barco, entende tudo sobre navegação e gosta de velejar sozinho, até conhecer Irene e vê-la de maiô… Os dois logo se apaixonam.

Entre Simone e Lazarus parece nascer uma amizade. Dorian gosta de ler e, muito curioso, quer entender como os bonecos de Lazarus funcionam. Todos estão animados com a nova vida quando acontecimentos macabros e estranhas aparições perturbam a harmonia de Cravenmoore: Hannah é encontrada morta, e uma sombra misteriosa toma conta da propriedade.

Irene e Ismael desvendam o segredo da espetacular mansão repleta de seres mecânicos e sombras do passado. Juntos enfrentam o medo e investigam estranhas luzes que brilham através da névoa em torno do farol de uma ilha. Os moradores do lugar falam sobre uma criatura de pesadelo que se esconde nas profundezas da floresta.

Em As luzes de setembro, aquele mágico verão na Baía Azul será para sempre a aventura mais emocionante de suas vidas, num labirinto de amor, luzes e sombras.

O que eu achei de As luzes de setembro?

As luzes de setembro foi, sem dúvida, o melhor livro da Trilogia da Névoa, que eu venho resenhando nos últimos dias. As Luzes de Setembro conta a história da família Sauvelle que, após a viuvez de Simone, se muda para a Baía Azul, para recomeçar.

Porém, o que eles não esperavam é que a cidadezinha era cheia de mistérios. Principalmente a mansão Cravenmoore, lar do fabricante de brinquedos Lazarus Jann, um homem cheio de manias e de segredos que, apesar de tudo, conquistou o carinho e a simpatia de todos da família.

Simone passaria a trabalhar na casa, enquanto seus filhos, Dorian e Irene acabaram se envolvendo e fazendo amizades com as pessoas mais próximas.

Irene é a que mais se animou com a possibilidade de uma nova vida, principalmente depois de fazer amizade com a animada Hannah, cozinheira de Cravenmoore e de conhecer seu primo, Ismael, um marinheiro que logo lhe chamou a atenção.

Com o tempo, sem querer, uma sombra de maldade é despertada e desencadeia uma série de eventos terríveis e misteriosos, envolvendo a mansão e, consequentemente,  família Sauvelle e os primos Hannah e Ismael. No meio de todo esse turbilhão que vem atormentar a vida deles de repente, nasce uma história de amor e de amizade das mais lindas que já se viu.

As luzes de setembro equilibra perfeitamente esses dois aspectos da vida dos personagens em um enredo envolvente e intrigante desde o princípio. Acredito que nesse livro Zafón fez isso muito melhor do que nos outros dois da trilogia. Essa leitura foi inesquecível.

Embora ele tenha sido escrito para um público mais jovem, o cuidado com as palavras e a perfeição do texto podem muito bem ser apreciados por leitores de qualquer idade. Recomendo muito As luzes de setembro!