[Resenha] Fim – Fernanda Torres

fim

Título: Fim

Autora: Fernanda Torres

Editora: Companhia das Letras

Ano: 2013

Páginas: 203

O público brasileiro acostumou-se a ver Fernanda Torres no cinema, no teatro ou na televisão .Com ‘Fim’, seu primeiro romance, ela consolida sua transição para o universo das letras. O livro focaliza a história de um grupo de cinco amigos cariocas. Eles rememoram as passagens marcantes de suas vidas – festas, casamentos, separações, manias, inibições, arrependimentos. Álvaro vive sozinho, passa o tempo de médico em médico e não suporta a ex-mulher. Sílvio é um junkie que não larga os excessos de droga e sexo nem na velhice. Ribeiro é um rato de praia atlético que ganhou sobrevida sexual com o Viagra. Neto é o careta da turma, marido fiel até os últimos dias. E Ciro, o Don Juan invejado por todos – mas o primeiro a morrer, abatido por um câncer. São figuras muito diferentes, mas que partilham não apenas o fato de estar no extremo da vida, como também a limitação de horizontes. Sucesso na carreira, realização pessoal e serenidade estão fora de questão – ninguém parece ser capaz de colher, no fim das contas, mais do que um inventário de frustrações. Ao redor deles pairam mulheres neuróticas, amargas, sedutoras, desencanadas, descartadas, conformadas. Paira também um padre em crise com a própria vocação e um séquito de tipos cariocas. Há graça, sexo, sol e praia nas páginas de ‘Fim’. Mas elas também são cheias de resignação e cobertas por uma tinta de melancolia

O romance de estréia de Fernanda Torres foi uma grande surpresa para mim. Confesso que, como a maioria das pessoas, fui muito atraída a lê-lo por conhecer e gostar da sua atuação como atriz, mas não foi só isso. A capa também me agradou muito, além do título, altamente instigante.

O que eu achei de Fim?

O livro Fim conta a história de cinco amigos cariocas, que contam suas lembranças mais marcantes, principalmente as que envolvem o convívio com estes amigos. O interessante destas cinco vidas, que são conhecidas a partir do seu ponto final, é que não são exemplos de trajetórias, nem mesmo experiências das quais eles podem se orgulhar. Fim narra o resultado de uma série de escolhas erradas e insensatas, tanto do ponto de vista dos protagonistas, como de suas esposas, parte importantíssima na história deles.

Em Fim, ao contrário de outros que li ultimamente, a multiplicidade de narradores não confundiu a leitura. A forma como foi construído, sem respeitar a cronologia e alternado entre narração de fatos da vida dos homens e suas mulheres, nos permite ir montando aos poucos o quebra-cabeça da amizade dessas cinco figuras tão diferentes e tão igualmente frustradas.

Em muitos momentos era possível ouvir a voz de Fernanda narrando a história para nós. Porém, em vários momentos da história, era fácil acreditar que o livro tinha sido escrito por um homem, tamanha capacidade de construção do eu-lírico no momento da narrativa pela perspectiva masculina.

Fim foi uma surpresa, pois não acreditei que gostaria de ler uma história com um perfil tão diferente do que eu tenho lido nos últimos meses, mas ao final só pude chegar a uma conclusão. A obra é magnífica, simples e direta. Me conquistou.