[Resenha] Um Lugar Para Ficar – Deb Caletti

um lugar para ficar

Título: Um Lugar Para Ficar

Autora: Deb Caletti

Editora: Novo Conceito

Ano: 2012

Páginas: 272

O relacionamento de Clara com Christian é intenso desde o começo e diferente de tudo o que ela já havia experimentado. No entanto, o que começa como um grande afeto rapidamente se transforma em obsessão, e já é muito tarde quando Clara percebe que as coisas foram longe demais e que Christian está disposto a fazer de tudo para ficar ao seu lado. Então, Clara parte da cidade e Christian fica para trás. Ninguém sabe onde ela está, mas, mesmo assim, Clara ainda luta para se livrar do medo. Ela sabe que Christian não vai permitir que ela suma tão facilmente. Não importa para onde ela vá, nunca será longe o bastante…

O que eu achei de Um Lugar Para Ficar?

Um lugar para ficar trata da história de Clara, uma adolescente que se muda de sua cidade com seu pai, para ficar longe de Christian, seu ex-namorado. Ninguém pode saber onde ela está, seus contatos telefônicos, email. Para sua própria segurança, o lugar para onde foram não deve ser conhecido de nenhuma pessoa, nem mesmo os amigos de Clara. É uma situação difícil, mas necessária – uma medida drástica tomada por um pai preocupado com sua filha.

O motivo real do refúgio dos dois nessa nova cidade não é claramente explicitado até que se chegue às partes finais da leitura. Um Lugar Para Ficar é escrito alternando os acontecimentos passados com os do presente, e aos poucos vamos montando o quebra-cabeça

Aparentemente Christian era o melhor namorado que Clara poderia ter, mas aos poucos ela vai conhecendo o temperamento instável dele e, como está apaixonada, acaba moldando toda sua vida de modo que ele não tenha nenhum ataque de ciúme e tentando reduzir ao máximo as reações inesperadas dele. Ela transforma seu modo de vestir, de falar, deixa as amizades cada vez mais em segundo plano e, por mais que as pessoas à sua volta a tentem alertar, ela não consegue ver o quanto esse relacionamento é doentio.

Clara tenta levar o relacionamento até onde dá, mas o controle de Christian sobre ela chega a um ponto que ela passa a ver o quanto está sendo prejudicada e passa a ter medo dele. Aos poucos, ela tenta se desvencilhar desse relacionamento, até que, por fim, consegue criar coragem e terminar com Christian. Ele, obviamente, não consegue aceitar o fim do relacionamento e começa a perseguir Clara, até que se chega ao ponto em que a história se inicia, com Clara e o pai se mudando para um lugar desconhecido, sem avisar nenhuma pessoa de seu convívio.

Clara e o pai, embora encarem a mudança como algo temporário, buscam formas de se adaptar ao novo ambiente e atividades para passar o tempo. Clara arruma um emprego em uma lojinha no farol da cidade e o pai tenta escrever mais um de seus romances. Clara acaba conhecendo Finn, um marujo, que trabalha em um barco, fazendo passeios com os turistas que chegam à cidade no verão. Ao mesmo tempo, o pai de Clara faz amizade com a dona da loja onde Clara trabalha e reencontra uma velha amiga que também mora em uma casa na praia.

A leitura demora para engrenar. A estratégia de contar a história em partes, ora no presente, ora no passado acaba deixando a leitura mais devagar do que eu gostaria. No fim das contas Um Lugar Para Ficar é um livro bom, mas apenas a partir da metade é que eu consegui me apegar ao enredo e me envolver até o fim.

A tradução e a revisão deixaram muito a desejar. Não é o primeiro livro que me desagrada no que diz respeito à tradução. Este tinha alguns erros que não passaram despercebidos e que me incomodaram no momento da leitura, como por exemplo o “kkkkkkkkk” em um momento em que se descrevia uma risada, entre outras traduções que eu não achei boas de jeito nenhum.

Outra coisa que incomodou em Um Lugar Para Ficar foi a quantidade de notas de rodapé. Por ser narrado em primeira pessoa, acredito que as notas poderiam ter sido incorporadas ao texto ou, em último caso, deixadas totalmente de lado. Não é de se esperar que um romance convencional tenha notas de rodapé, não é verdade?

No balanço final, é uma história boa, com um enredo bem construído, mas em vários momentos faltou emoção. Eu conseguia entender o terror psicológico sofrido pela personagem, mas não consegui senti-lo, como em outros livros que li. Para mim, ler um livro que me afeta, que incomoda e que me transporta para o mundo criado pelo autor é crucial e, em Um Lugar Para Ficar Deb Caletti não teve sucesso nesse aspecto.

Pode ser que eu ainda leia outros livros dela, mas ainda tenho autores passando na frente, na minha meta de leitura.